União de Militares
Evangélicos da Paraíba

Programa Polícia e Igreja

O Programa Polícia e Igreja, idealizado e desenvolvido pela Associação dos Policiais Militares Evangélicos do Estado de São Paulo (PM de Cristo) é uma realidade e um esforço de unir Polícia e Igrejas Cristãs Evangélicas parceiras com a finalidade de apoiar as gestões de pessoa e de polícia comunitária que integram o Sistema de Gestão da Polícia Militar do Estado de São Paulo. O Programa Polícia e Igreja, inicialmente denominado Projeto Polícia e Igreja, consiste em uma proposta encaminhada ao Comando da PMESP, em 2015, que, dentro dos preceitos de Polícia Comunitária e de alinhamento com normas legais, de deliberações da Organização Mundial de Saúde (OSM) e de normas internas da própria corporação sobre Saúde Mental, aceitou favoravelmente os objetivos a serem alcançados por este Programa por ir ao encontro com seus objetivos de valorização de policial militar e por se amoldar à filosofia de Polícia Comunitária e de Direitos Humanos, os quais não apenas defende como também os promove.


Oportuno mencionar que este Programa foi resultado de uma pesquisa científica, defendia em nível de doutorado em Ciências Policiais de Segurança e Ordem Pública pelo então Major PM Evandro Teixeira Alves, em 2012, no Centro de Altos Estudos de Segurança da PMESP. 


No presente contexto, a saúde mental dos profissionais é item de grande relevância para a sobrevivência e o futuro das empresas, seja ela pública ou privada. E, considerando a questão da saúde mental, é relevante compreender que para o indivíduo estar bem equilibrado há de harmonizar o bem-estar físico, emocional e espiritual.

Assim, este Programa, que prioriza com exclusividade, focar a dimensão espiritual do policial militar, enquanto ser integral, dotado pois, de corpo, alma e espírito, se sustenta em apoiar a PMESP a alcançar seus objetivos institucionais, dentre eles, na valorização do policial militar como ser humano; melhoria da motivação profissional; saúde mental e emocional do policial militar e de seus familiares; e, em um segundo plano, na prevenção primária do crime e da violência e na construção de uma cultura de paz.

Cremos que esses elementos permitem ao policial militar desempenhar suas funções com mais tranquilidade, aplicar as normas operacionais padrão em nível de excelência, sedimentação de sentimento de sensibilidade e respeito ao cidadão e ao infrator da lei, além de criar nele o desejo de voltar para seus lares e nele desempenhar suas funções de sacerdote.